Raio: Desligado
Raio:
km Até onde deseja procurar, à sua volta?
Pesquisar

Reações comuns pós-trauma

Reações comuns pós-trauma

Depois de passarem por um trauma, os sobreviventes costumam dizer que o seu primeiro sentimento é o alívio de estarem vivos. Isto pode ser seguido de stress, medo e cólera. Os sobreviventes de trauma também podem pensar que são incapazes de parar de pensar sobre o que aconteceu. Muitos sobreviventes mostrarão um alto nível de excitação, o que os faz reagir fortemente aos sons e cenários em seu redor.

A maioria das pessoas tem algum tipo de reação de stress após um trauma. Ter tal reação não tem nada haver com fraqueza pessoal. As reações de stress podem durar vários dias ou mesmo algumas semanas. Para a maioria das pessoas, se os sintomas ocorrem, vão diminuir lentamente ao longo do tempo. Contudo, numa minoria de pessoas esses sintomas não regridem e pode instalar-se um quadro clínico pós-traumático.

Quais são as reações comuns ao trauma?

Geralmente, todos os tipos de sobreviventes de trauma experimentam reações de stress. Isto é verdadeiro para veteranos, crianças, e profissionais de socorro ao desastre ou de ajuda humanitária. Se conhecer e compreender o que está a acontecer quando está, ou alguém que conhece, a reagir a um evento traumático, pode ser menos temeroso e tornar-se mais capaz de lidar com a situação.

As reações a um trauma podem incluir:

  • Sentir-se desesperançado em relação ao futuro
  • Sentimento de desapego ou despreocupado com os outros
  • Ter problemas para se concentrar ou tomar decisões
  • Sentir-se nervoso e ficar assustado facilmente com ruídos súbitos
  • Estar “super alerta” ou vigilante em guarda
  • Ter sonhos perturbadores e memórias ou flashbacks
  • Ter problemas de trabalho ou escolares

 

Também pode experimentar mais reações físicas, tais como:

  • Estômago perturbado e dificuldade para comer
  • Problemas para dormir e sentir-se muito cansado
  • Coração pulsante, respiração rápida, sensação de nervosismo
  • Transpiração
  • Dor de cabeça severa se pensar no evento
  • Falta no exercício físico, dieta, sexo seguro, cuidados regulares de saúde
  • Excesso de tabaco, álcool, drogas, alimentos
  • Agravamento dos seus problemas médicos em curso

 

Pode ter mais problemas emocionais, tais como:

  • Sentir-se nervoso, desamparado, temeroso, triste
  • Sentir-se chocado, entorpecido e incapaz de sentir amor ou alegria
  • Evitar pessoas, lugares e coisas relacionadas ao evento
  • Estar irritado ou ter explosões de raiva
  • Tornar-se facilmente perturbado ou agitado
  • Culpar-se ou ter opiniões negativas de si mesmo ou do mundo
  • Desconfiança dos outros, entrando em conflitos, tendo excesso de controle
  • Ser retirado, sentir-se rejeitado ou abandonado
  • Perda de intimidade ou sensação de desprendimento

 

Recuperação às reações de stress

Volte-se para a sua família e amigos quando estiver pronto para conversar. Eles são a sua rede de suporte pessoal. A recuperação é um processo gradual e contínuo. Não acontece por meio de se ser repentinamente “curado” e isso não significa que vai esquecer o que aconteceu. A maioria das pessoas vai recuperar do trauma naturalmente. Se as suas reações ao stress estão a atrapalhar os seus relacionamentos, trabalho ou outras atividades importantes, pode querer conversar com um psicólogo ou médico. Estão disponíveis bons tratamentos.

 

Problemas comuns que podem ocorrer após um trauma

Perturbação de Stress Pós-Traumático (PSPT). PSPT é uma condição que se pode desenvolver após ter experimentado um evento traumático, com risco de vida. Se tem PSPT, pode ter dificuldade em deixar de pensar, uma vez e outra, sobre o que aconteceu consigo. Pode tentar evitar pessoas, atividades ou locais que lembram o trauma. Pode sentir-se entorpecido. Por último, se tem PSPT, pode achar que tem dificuldade para relaxar. Pode assustar-se facilmente e pode sentir-se em guarda a maior parte do tempo.

Depressão. Depressão envolve estar a sentir-se em baixo ou triste mais dias do que não. Se está deprimido, pode perder o interesse em atividades que costumavam ser agradáveis ou divertidas. Pode sentir-se sem energia e estar excessivamente cansado. Pode sentir-se desesperado ou pensar que as coisas nunca vão melhorar. A depressão é mais provável quando a pessoa teve perdas, como a morte de familiares queridos ou amigos próximos. Se está deprimido, às vezes pode pensar sobre ferir-se ou suicidar-se. Por esta razão, obter ajuda para a depressão é muito importante.

Auto-culpa, culpa e vergonha. Às vezes, ao tentar entender um evento traumático, pode culpar-se de alguma forma. Pode pensar que é responsável pelas coisas más que aconteceram, ou por ter sobrevivido quando outros não. Pode sentir-se culpado pelo que fez ou não fez. Lembre-se, todos tendemos a ser os nossos piores críticos! Na maioria das vezes, essa culpa, vergonha ou auto-culpa não se justifica.

Pensamentos autodestrutivos. Trauma e perda pessoal podem levar uma pessoa deprimida a pensar em magoar-se ou suicidar-se. Se pensa que alguém que conhece pode estar a sentir-se ou comportar-se de forma autodestrutiva, deve perguntar-lhe diretamente. Não colocará a idéia na sua cabeça. Se alguém pensa em suicidar-se, pode pedir apoio nas Linhas de Vida de Prevenção do Suicídio http://www.spsuicidologia.pt/sobre-o-suicidio/telefones-uteis . Também pode chamar um psicólogo, médico ou 112.

Cólera ou comportamento agressivo. O trauma pode estar conectado com a cólera “raiva” de muitas formas. Depois dum trauma, pode pensar que o que aconteceu consigo foi incorreto ou injusto. Pode não entender porque o evento aconteceu, ou porque aconteceu consigo. Esses pensamentos podem resultar em cólera intensa. Embora a cólera seja uma emoção primária natural e saudável, sentimentos intensos de cólera e comportamento agressivo podem causar problemas com a família, amigos ou colegas de trabalho. Se se tornar violento quando está colérico, com raiva, apenas agrava a situação. A violência pode levar ao ferimento de pessoas, e pode haver consequências legais.

Álcool / abuso de drogas/medicação. Beber, consumir drogas ou auto medicar-se, medicação não prescrita pelo médico, é uma maneira comum e insalubre de lidar com eventos perturbadores. Pode beber demais ou usar medicamentos para adormecer e tentar lidar com pensamentos, sentimentos e memórias difíceis relacionados ao trauma. Enquanto o consumo do álcool, drogas ou medicação pode oferecer uma solução rápida, também pode levar a mais problemas. (Nenhum medicamento “cura” o trauma e, certamente, não o apagará da sua memória. Existem psicoterapias eficazes para lidar com o trauma.) Se alguém próximo começa a perder o controlo de beber, consumir drogas ou medicação, deve tentar levá-los a ver um profissional de saúde.

Ariel Milton

Psicólogo Especialista em Clínica e Saúde

CP15569

Facebook:

https://www.facebook.com/arielmilton.pt/

 

 

Voltar para o Topo

Nota: Os artigos e notícias são da inteira responsabilidade dos parceiros que os escrevem e cuja identificação aparece junto aos mesmos. O Portal da Saúde Mental não interfere com as opções técnicas e científicas dos profissionais e instituições registadas no Portal.

Ao navegar neste site, concorda com a nossa política de cookies. saber mais

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close