Raio: Desligado
Raio:
km Até onde deseja procurar, à sua volta?
Pesquisar

Como é que um psicólogo fala!

Como é que um psicólogo fala!

Tal como na maioria das profissões, também na psicologia e na psicoterapia existe uma forma de comunicar muito particular e especifica. Aqui temos de distinguir logo à partida vários públicos alvos. Quando vários colegas se reúnem, seja em formato de supervisão (em que psicólogos mais juniores procuram orientação nos casos com alguém mais experiente), intervisão (que consiste na reunião de vários colegas, com experiencial e conhecimentos técnicos e empíricos semelhantes, discutem casos, pois como já se dizia antigamente, duas cabeças pensam melhor que uma) a linguagem é mais técnica, pois assim é facilitado a compreensão do que está a ser partilhado, quer seja relativamente a diagnósticos, não sendo o rotulo o mais importante na definição da problemática dos clientes, mas permite desde logo uma visão que segue uma linha de especificação, tendo logo há partida, características comuns, e também permite a escolha de intervenções que já tenham sido estudadas e validades, para as diferentes patologias. Neste caso então as nomenclaturas mais complexas ao olhar das pessoas que não trabalham nesta área, faz com que a definição das coisas seja especifica, para que quando alguém refere algo como a cor amarelo limão, não seja amarelo por do sol, amarelo claro, etc. Também nos permite falar com diferentes profissões na área da saúde mental, possam ter um entendimento rápido e especifico sobre o que se pretende partilhar.

Por outro lado quando comunicamos com clientes, familiares, ou para o publico em geral, tudo muda de perspectiva. Com isto quero dizer que podem acontecer várias distorções de compreensão do que está a ser dito. É necessário perceber primeiro que pessoa temos à nossa frente, o seu nível de linguagem, a dimensão do seu vocabulário, o conhecimento que têm sobre esta área, que muitas vezes e devido à informação massiva que se encontra à distancia de um click, que em muitos casos contêm informações erradas, que acabam por confundir ainda mais o cliente. O nosso papel é ter uma linguagem clara, sendo que quando necessário é necessário parafrasear o que é dito, até haver uma certeza sobre a compreensão do assunto em foco, ter capacidade de associar conceitos emocionais às experiências vividas pelo cliente, haver uma explicação coerente sobre que caminho terapêutico irá ser seguido e porque, para que desde logo se criem objectivos terapêuticos e a definição do caminho para os atingir. A adaptação da nossa linguagem à pessoa que se senta ao nosso lado, envolve o cliente num ambiente de compreensão, de igualdade, de amparo. Assim esta parte torna-se essencial para o estabelecimento de uma relação terapêutica forte.

E ainda, quando comunicamos para um publico em geral, seja através da comunicação social (televisão, jornais, etc.), e redes sociais (facebook, blogs, etc.) esta tem de ser mais geral sobre assuntos específicos, pois logo à partida o tempo muitas vezes é bastante limitado, e não existe uma noção do publico a quem nos referimos, sendo que podemos por vezes ter em conta que certas alturas do dia o publico pode mais especifico em termos de idades, conhecimentos, etc, para que leve as pessoas a terem interesse em aprofundar os seus conhecimentos no que está a ser falado.

É verdade que nós psicólogos temos uma linguagem muito própria, mas também os futebolistas, os gestores e praticamente em todas as profissões. Assim no caso de duvidas sobre o assunto abordado, pergunte, indague, até ficar esclarecido, pois quanto mais conhecimento temos sobre os diferentes assuntos, mais capazes nos tornamos de prevenir, falando da área da saúde mental, identificar e procurar ajuda.

Sobre pmbgarrido

A Psicologia sempre foi para mim a única possibilidade de carreira. Acordo todos os dias sabendo que faço aquilo que sempre quis. Grande parte do meu trajecto profissional foi dirigido para os mais necessitados a nível social, e poder participar num projecto como a Oficina de Psicologia, é dar continuidade ao meu trabalho, permitindo a todos, independentemente do seu estrato sócio-economico, um serviço de excelência. A psicoterapia é uma das coisas em que mais acredito para uma vida melhor. A psicoterapia é uma forma de nos melhorarmos enquanto pessoas. É um processo que nos permite, ao terapeuta e paciente, crescer em conjunto e enfrentar as adversidades da vida com brio e coragem. A psicoterapia é um espaço onde tudo pode ser sentido e falado, um espaço onde a confiança se cria e constrói levando a uma melhoria na qualidade de vida. Um espaço onde todos são tratados com dignidade e compreensão. Como todos somos diferentes nas pequenas particularidades que nos definem existe uma necessidade de ter conhecimentos abrangentes para adequarmos a nossa intervenção à realidade de cada um. Tendo como orientação teórica de base a Terapia Cognitiva, com o passar do tempo, tanto de estudo, como de experiência profissional, tenho descoberto que é necessária uma diversidade de intervenções para melhor servir quem nos solicita à procura de um mundo melhor.
Voltar para o Topo

Nota: Os artigos e notícias são da inteira responsabilidade dos parceiros que os escrevem e cuja identificação aparece junto aos mesmos. O Portal da Saúde Mental não interfere com as opções técnicas e científicas dos profissionais e instituições registadas no Portal.

Ao navegar neste site, concorda com a nossa política de cookies. saber mais

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close