Raio: Desligado
Raio:
km Até onde deseja procurar, à sua volta?
Pesquisar

A Escola Secundária Maria Amália Vaz de Carvalho, que desde o ano letivo  de 1933-1934 se encontra no presente edifício, tem uma história longa e rica. Foi criada em 1885, ocupando um edifício do Largo do Contador-Mor, em Alfama, graças à iniciativa da Câmara Municipal de Lisboa. Tinha como objetivo principal – de largo alcance social para a época – “a emancipação da mulher pela instrução”. Inicialmente, chamava-se Escola Maria Pia, em homenagem à rainha e tinha 45 alunas inscritas. A grande ambição era passar a Liceu e por ela lutaram o professor Caetano Pinto e a doutora Domitília Carvalho, que viria a ser a futura reitora deste estabelecimento de ensino. Em 1906, por fim, o rei D. Carlos I assina o decreto que institui o primeiro liceu feminino em Portugal. No ano letivo de 1933-34, o Liceu, já há alguns anos denominado Liceu Feminino de Maria Amália Vaz de Carvalho, abre as suas novas e definitivas dependências na rua Rodrigo da Fonseca. Com a unificação do Ensino Secundário, o Liceu passa, tal como todos os restantes liceus do país, a designar-se Escola Secundária. Hoje a escola define-se como uma instituição que promove o saber e a cidadania. Nas palavras da atual Diretora, a Dra. Maria de Fátima Lopes, numa mensagem de boas vindas dirigida aos novos alunos, “A Escola Secundária Maria Amália Vaz de Carvalho tem, entre outras, a missão de ajudar os jovens a desenvolverem-se de forma plena e a serem atores sociais interventivos e críticos. Uma escola que promove a cooperação, cultiva expectativas positivas, previne a indisciplina, comunica com os pais é, sem dúvida, uma comunidade educativa que é como a segunda “casa”, espaço relacional aberto ao diálogo, à cultura, ao empreendedorismo…”.

Contactos

Morada:

Rua rodrigo da Fonseca, nº 115 - 1099-069 Lisboa

GPS:

38.726484, -9.156757999999968

Telefone:
Site de Internet:
Contactar Parceiro
Voltar para o Topo

Nota: O Portal da Saúde Mental é aberto a todos os profissionais e organizações que assumam respeitar e promover a saúde mental. O registo no portal é democrático e aberto a todos que assumam esse compromisso. Não cabe ao Portal da Saúde Mental determinar que organizações são ou não do interesse do público. Cabe ao público tomar essa decisão. Da mesma forma, é da exclusiva responsabilidade de cada parceiro a informação que presta no seu perfil de parceiro.

Ao navegar neste site, concorda com a nossa política de cookies. saber mais

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close